Imprensa

G1 ANTÔNIO CARLOS MIGUEL - COLUNISTAS

http://g1.globo.com/musica/blog/antonio-carlos-miguel/post/novos-lancamentos.html
19.03.14, por Antônio Carlos Miguel

Novos lançamentos

A música gravada não para. Uma semana após a última limpa, já são mais nove CDs físicos (e um DVD), mais uns seis baixados ou conferidos por streaming. É um volume ainda acima do desejável para quem anseia por mais tempo para a audição a esmo, sem obrigação. Sei que reclamo de ouvido cheio e, pelo menos, o nível dessa safra é razoável ......

Se a capa de “Quadro” (a partir de tela em acrílico de Paloma Espínola encomendada para o disco) traduz o conceito do disco de Fernando Vilela, o igualmente surpreendente “Ternária”, da cantora Lúcia Helena, não tem a mesma sorte. A foto em tom sépia, ela numa rua do velho centro carioca botando um disco para tocar num gramofone, tudo remete ao passado, contradizendo o conteúdo, uma coleção de 18 valsas contemporâneas, agrupadas em três blocos temáticos. Sim, a valsa está no Brasil antes mesmo dos gramofones, passa por Joaquim Callado, Chiquinha Gonzaga, Nazareth, Pixinguinha, Jobim, Chico Buarque, mas um dos trunfos desse CD é mostrar o quanto o ritmo continua presente.

É belo projeto, também de instrumental camerístico, com direção e produção musical dos irmãos Marcelo (piano e acodeom) e Alexandre Caldi (flauta), e repertório quase todo inédito (entre as exceções está “Ária de opereta”, de Guinga e Aldir Blanc, cantada por Ed Motta no disco “Cheio de dedos”, que Guinga lançou em 1996). Lúcia Helena tem voz límpida e de técnica precisa, lírica como as atemporais valsas de, entre outros, Pedro Amorim & Paulo César Pinheiro, Luiz Alcofra e Mauro Aguiar, Marcelo Caldi & Julio Dain, Lucina & Luhli, Maurício Carrilho & Vidal Assis.

SOBRE A PÁGINA

Jornalista especializado em música há 35 anos, autor do livro “Guia de MPB em CD”, ACM é membro votante do Grammy Latino e integra o conselho e o júri do Prêmio da Música Brasileira. Sem fronteiras, esse blog vai da MPB ao jazz, do samba ao rock, misturando crítica (e autocrítica), entrevistas, notícias, divagações e afins.


NOTAS MUSICAIS

http://www.blognotasmusicais.com.br/2014/04/sob-direcao-dos-caldi-lucia-canta.html
05.04.14, por Mauro Ferreira

Sob direção dos Caldi, Lúcia canta valsas contemporâneas em 'Ternária'

A capa do primeiro CD da cantora Lúcia Helena, Ternária, contradiz o conceito do disco por expor imagem que evoca o passado - pela presença de um gramofone - quando, na contramão da nostalgia, a artista procura enfatizar no álbum a contemporaneidade da valsa através da seleção de repertório escolhido por Lúcia Helena com o pianista e acordeonista Marcelo Caldi. O título do disco alude ao compasso ternário do gênero surgido na Alemanha no século XV e popularizado no mundo a partir do século XIX. Mas, ao longo de 18 valsas alocadas em três tempos distintos (Cantos de encontro e de paixão, Cantos de incerteza e de dor, Cantos da alma, de laços e da saudade), o disco prioriza valsas recentes, muitas até então inéditas em discos. Com voz de tom lírico, Lúcia Helena apresenta valsas inéditas como Amorosa (Maurício Carrilho e Vidal Assis), Ana (Pedro Franco e Caio Martinez), Dias sem fim (Wladimir Pinheiro), Lembrança viva (Julião Pinheiro e Paulo César Pinheiro), Valsa de outono (Pedro Amorim e Paulo César Pinheiro) e Valsa vesperal (Luiz Flávio Alcofra e Mauro Aguiar). A refinada direção musical dos irmãos Alexandre Caldi (flauta) e Marcelo Caldi) valoriza o disco no qual Lúcia regrava Ária de opereta - valsa de Guinga e Aldir Blanc, lançada por Guinga no CD Cheio de dedos (Velas, 1996) com a voz do cantor carioca Ed Motta - e Deu flor, valsa desabrochada dentro da produção autoral da dupla Luhli e Lucina. Ternária é disco desenvolvido a partir do show Viver é que é valsar, apresentado por Lúcia Helena ao lado de Marcelo Caldi desde 2010. Postado por Mauro Ferreira às 19:19